Delegação de Maputo

Print

Localização
Encontra-se localizada na cidade da Matola e conta com um efectivo de  26 funcionários. Realiza actividades na estatística da pesca artesanal, estudos Biológicos, no ambiente aquático e na monitoria da pesca desportiva e recreativa na Província e Cidade de Maputo.

A Delegação do IIP na Província de Maputo realiza as suas actividades nas seguintes áreas:


1. Pesca Artesanal
A pesca é feita diariamente, basicamente 7 dias por semana em águas pouco profundas sobre os bancos de areia. A frota é composta por barcos pequenos de madeira, com cerca de 3 – 7 m de comprimento e uma propulsão à vela, a remo ou com motores fora de bordo. A produção é geralmente comercializada localmente após o desembarque. A nível da província de Maputo, a monitorização da pesca artesanal inclui tanto a pesca marítima (baia de Maputo) como em águas interiores (albufeira de corrumana).

1.1  Artes de pesca
As artes de Pesca cobertas pelo sistema de monitorização são:

Em águas marítimas
Arrasto para praia, Arrasto para bordo, Emalhe de superficie, Emalhe de fundo, Linha de mão.
Em águas interiores
Emalhe de fundo

1.2  Dados
A monitorização da pescaria é efectuada por meio de recolha de informação sobre o esforço de pesca, captura e a respectiva composição (por espécies e por tamanho dos recursos mais importantes). Essa informação é colhida com base em amostragens aos desembarques nos centros de pesca. As principais áreas cobertas pelo sistema de monitorização são:
Águas maritimas:
Maputo, Matola, Marracuene, Matutuine, Inhaca.
Águas interiores:
Albufeira de Corrumana.

Espécies
As principais espécies monitoradas são:
Em águas marítimas


Em águas interiores


2.  Pesca Semi-industrial de Camarão:
A pesca semi-industrial de camarão a nível da zona sul do País é levada a cabo na Baia de Maputo e Foz do rio Limpopo. A frota é composta por pequenos arrastões de popa, com comprimento médio de 12,4 m, Tonelagem media de Arqueação Bruta (TAB) de 17,4 tons e uma potência do motor estimada entre entre 75 e 290 CV. As embarcações semi-industriais têm uma autonomia máxima de 5 dias, a tripulação é constituída por 6-8 marinheiros e o porto base desta frota é o de Maputo. As principais áreas de pesca localizam-se ao longo do canal de navegação da baía e zonas associadas aos estuários dos rios Incomáti, Umbelúzi e Maputo, a profundidades entre 5-20 m. A produção é conservada em gelo e destina-se ao abastecimento do mercado interno e à exportação para o mercado regional.

2.1. Artes
A arte de pesca usada nesta pescaria é arrasto.

2.2. Dados
A monitorização da pescaria é efectuada por meio de recolha de informação sobre o esforço de pesca, captura e a respectiva composição (por espécies e por tamanho dos recursos mais importantes). As fontes de informação incluem Fichas de Captura Diária (FCD), recebidas das empresas de pesca e as amostragens biológicas realizadas a bordo das embarcações comerciais.

2.3. Espécies
As principais espécies monitoradas nesta pescaria são:

3. Pesca Desportiva e Recreativa:
A pesca desportiva e recreativa representa um dos mais importantes atractivos turisticos, sendo praticada um pouco por toda a costa mocambicana. Na zona sul do pais é largamente praticada por turistas estrangeiros, podendo ser classificada em tres categorias: de fundo ou corrico (pesca de barco), submarina e de margem (sem barco).

3.1 Artes
A arte de pesca coberta pelo sistema é a linha de mão.

3.2. Dados
A monitorização é efectuada por meio de recolha de informação sobre o esforço de pesca, captura e a respectiva composição (por espécies, peso e por tamanho dos recursos mais importantes).

Fontes de informação incluem:

Pesca Desportiva fichas de amostragem preenchidas  por  tecnicos do IIP em concursos de pesca desportiva organizados a nivel dos clubes.

Pesca Recreativa cartoes fornecidos pelas estancias turisticas, clubes e associações desportivas previamente distribuidos pelo IIP.

3.3. Espécies
As principais espécies monitoradas na pesca desportiva são: